plantas interiores

3 truques essenciais para cuidar de plantas interiores

Não é segredo para ninguém: as plantas têm a capacidade de mudar a decoração de qualquer espaço e, por isso, trazemos-lhe dicas para cuidar das plantas interiores lá de casa com toda a sabedoria e dedicação que a tarefa exige. Isto porque requerem alguns cuidados – umas mais que outras, é preciso água na medida certa e muita luz para se manterem viçosas. Neste artigo vai descobrir que o cantinho onde as colocamos, o tipo de planta que é e o ambiente à sua volta podem fazer toda a diferença. Mesmo que seja um iniciante na botânica de interiores, não desista do sonho de ter uma selva urbana dentro de quatro paredes. É possível e vamos provar isso mesmo!

Em primeiro lugar, é muito importante perceber que certas espécies de plantas não são adequadas para interiores. Depois, é igualmente bom que saiba que as plantas são capazes de fabricar a sua própria energia, através da fotossíntese. Para que este processo ocorra, temos de lhes dar três bens essenciais: água, luz solar e dióxido de carbono. O resto, é com a plantinha. Vamos agora passar para as três dicas essenciais para que não se torne num serial killer de plantas:

Escolher o sítio adequado em função do tipo de planta

E onde consegue esta informação? Por norma, vem escrita no vaso ou foi-lhe indicado pelo(a) vendedor(a). É certo e sabido que existem plantas que exigem muita luz solar e estas devem ser colocadas bem perto da janela ou numa zona da casa que apanhe sol grande parte do dia. Outras há que preferem luz média, sendo que as deve colocar num espaço luminoso, mas sem luz solar direta. E, se a sua casa não está provida de muita luz natural, o ideal é optar por plantas mais tolerantes à sombra e que se vão dar bem em espaços mais escuros. 

Rega controlada

Este é um dos tópicos mais importantes, porque é importante que conheça o tipo de planta e como testar o nível de humidade do solo para poder determinar qual a frequência de rega de que necessita.
Não é preciso determinar um calendário rígido, o segredo está em observar a planta, ter em conta que as necessidades de água estão sempre a mudar em função das condições do meio ambiente e saber que uma planta feliz tem a terra húmida, mas não molhada. Como saber quando deve regar? É fácil, introduza um dedo no substrato para sentir se está seco ou húmido. Se estiver húmido, volte a verificar no dia seguinte. Se já estiver seco, convém regar, sendo que deve cobrir toda a zona em redor da planta e não apenas num local. A água tem de estar uniformemente disponível por todas as raízes.

Drenagem acertada

Quando compra ou recebe uma planta, não a deve deixar indefinidamente no vaso onde estava. geralmente, são vasos de tamanho limite onde as raízes acabam por não ter espaço para crescer. O ideal é deixar que a planta se habitue ao novo espaço e, duas semanas depois, mudá-la para um vaso maior. Neste ponto é importante que tenha presente que se a planta não tiver drenagem, o substrato vai ficar empapado e as raízes vão apodrecer. Então, deve cobrir metade do novo vaso com substrato adequado, colocar a planta no meio e preencher até acima. É igualmente importante que o vaso tenha buracos no fundo para que a água seja capaz de sair. Se for um vaso decorativo, por onde não seja possível a água escoar, dê asas à imaginação e crie uma drenagem. Por exemplo, há quem coloque pedras de tijolo ou argila no fundo do vaso, seguida de uma camada de areia lavada e, de seguida, a terra. Com isto, garante que a areia faça com que a água escoe para a próxima camada sem asfixiar as raízes. Porém, o ideal mesmo é que o vaso tenha vários buracos no fundo e um prato por baixo para deixar a água vazar.

Na JOM encontra diferentes vasos para que possa dar um novo poiso às suas plantas, descubra-os aqui.

Aproveitamos ainda para deixar uma breve checklist daquilo que poderá eventualmente estar a fazer mal, caso não veja evolução saudável nas suas plantas interiores:

  • Excesso de rega. Evite a todo o custo os encharcamentos!
  • Plantas muito perto das janelas e/ou demasiado expostas à luz solar direta.
  • Plantas demasiado próximas de aparelhos de ar condicionado ou de aquecedores, ficando bastante expostas a oscilações de temperatura.
  • Não inspecionar periodicamente a planta à procura de parasitas. Particularmente no inverno, com condições adversas como a secura do ar, as plantas interiores ficam mais vulneráveis a diferentes parasitas.
  • Plantas em vasos bastante pequenos cujas raízes ocupam a maior parte do vaso.
  • Desconhecer o ciclo de vida das plantas: não deite fora uma planta que pode simplesmente estar no seu ciclo. Existem algumas que são anuais, que estão sempre em folha o ano todo; outras são vivazes,perdem as folhas e as flores no inverno mas voltam a nascer no verão.

Além de tudo isto, uma das grandes tendências deste ano é a decoração com um toque botânico, como já tínhamos abordado neste artigo.

Em síntese, as plantas interiores e a decoração podem ser perfeita e harmoniosamente complementadas. Com o verde intenso das folhas ou a exuberante floração, as plantas enchem a casa de vida em qualquer época do ano. É importante que saiba algumas regras básicas para que lhe seja possível criar um ambiente fresco e leve. Esperamos ter sido úteis!

You May Also Like

casa

Prepare a sua casa para receber a primavera

Limpeza de sofás

Limpeza de sofás: dicas para o manter sempre impecável

tendências de decoração para a sala de estar

Descubra as tendências de decoração para a sala de estar

decorar a casa de banho

Ideias para decorar a casa de banho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *