Horta em apartamento

Horta em apartamento? Sim, é possível!

É verdade, é possível termos uma horta em apartamento! Existe sempre um espaço disponível para plantar, mesmo que não tenhas um jardim ou um terraço, deves ter uma varanda para plantar e, se esta for pequena, podes optar por sistemas de cultivo vertical. Senão, num simples parapeito da janela, é igualmente possível colocar uma floreira e ver a natureza a operar… Se não existir espaço exterior, podes sempre cultivar na cozinha, ainda que possa existir alguma limitação na escolha de variedades para cultivar.

Podemos cultivar na varanda uma grande variedade de ervas aromáticas, algumas hortícolas para usar nas saladas e até alguns pequenos frutos como morangos.

Cultivar uma horta traz-nos imensos benefícios, sendo também uma excelente terapia com impacto na nossa saúde. Além disso, é um hobby pouco dispendioso, porque as matérias primas necessárias são baratas: vais precisar de substrato adequado, água, sementes e algumas (poucas) ferramentas de jardinagem. Podes precisar também de vasos, mas aqui é possível poupar algum dinheiro reutilizando recipientes antigos. É certo que pode ser preciso fertilizar e tratar de pragas que apareçam, mas existem receitas para fertilizantes e bio pesticidas feitos em casa com ingredientes simples.

Horta em apartamento

Portanto, existem sempre soluções para todas as desculpas que possam estar aí a bloquear o avançares com este projeto saudável e, para ajudar, vamos então começar por explorar quatro regras essenciais: 

1. A localização

Provavelmente já sabes, mas nunca é demais lembrar que a maior parte das hortícolas gosta de bastante sol (mais de 6 horas por dia), independentemente da estação do ano. Para varandas viradas a Norte, o cultivo de hortícolas pode ser mais restrito a nível de variedades, porque dificilmente conseguem ter 5 a 6 horas de sol no Inverno. Ainda assim, desistir não é solução e podemos escolher as variedades que precisam de menos luz solar direta, como por exemplo acelga, rúcula, alface, alho, alho francês, cebolinho, rabanete, salsa, coentros.

2. A importância do substrato

Para plantar em vaso é importante que o substrato esteja isento de sementes e agentes patogénicos e, por isso, deves evitar a utilização de terra do campo ou do monte. Este substrato em específico deve ser leve, permeável, ter um PH entre 6 e 7 e uma granulometria que permita um adequado arejamento, e que seja capaz de absorver facilmente a água quando fica seco.

3. Seleção de variedades mais fáceis de cultivar em vaso

Além de termos de planear os cultivos em função da altura do ano e de acordo com as nossas preferências gastronómicas, devemos também considerar as variedades mais adequadas para plantar em vaso. Há aqui duas possibilidades: semear ou transplantar, sendo que é importante saber que algumas variedades de plantas preferem não ser transplantadas (por exemplo, rúcula, rabanetes, cenouras e nabos) e, nestes casos, devemos semear diretamente nos recipientes definitivos.

Primavera-Verão: plantas sugeridas para plantar em vaso

Alface, alho francês, pimentos, pepinos, rabanetes, tomates, rúcula, acelgas, beterraba, courgette, cebolas, espinafres, feijões, malaguetas e morangos. Ervas aromáticas como coentros, manjericão, cebolinho, orégãos, salsa, segurelha e alecrim. 

Outono-Inverno: plantas sugeridas para plantar em vaso

Alho, alho francês, ervilhas, favas, acelgas, cebolas, chicória, canónigos, couves como couve flor, couve- penca, repolho. Ervas aromáticas como coentros, cebolinho, orégãos, salsa, segurelha e alecrim. 

4. A importância dos vasos

Quando se planta em vaso é importante o volume total de substrato que um recipiente pode incluir e não apenas a sua profundidade. Por exemplo, as plantas mais pequenas precisam de menos volume (2-3 litros podem ser suficientes para, por exemplo, as alfaces), enquanto outras plantas como pimentos e tomates precisam de recipientes maiores (15-20 litros de volume, idealmente).

Outra dica relevante é evitar escolher vasos com profundidade inferior a 20 centímetros, sendo que o diâmetro varia de acordo com o que cultivares. Ainda em relação à escolha de vasos, estes devem ser leves, para facilitar o transporte, e ter uma boa drenagem para eliminar o excesso de água, evitando encharcamentos. Caso a drenagem não seja a mais adequada, podemos estar a provocar a asfixia das raízes.

À venda encontras diferentes tipos de vasos nos mais variados materiais e tamanhos. Se gostares de DIY, podes também considerar reutilizar garrafões de plástico ou metal ou qualquer outro recipiente com fundo que possa servir para plantar. Certifica-te apenas que estão bem lavados para não conter qualquer tipo de contaminante.

Horta em apartamento

Agora, qual o material necessário?

– Vasos (caso não queiras ou saibas reutilizar recipientes antigos)
– Sementes ou mudas de viveiro
– Substrato adequado para cultivo
– Argila expandida (ou similar) e manta de drenagem para ajudar a drenar
– Fertilizante orgânico
– Pulverizador para aplicação de tratamentos
– Pá ou ancinho de jardinagem
– Regador
– Tesoura de poda
E, sendo opcional: luvas e avental de jardinagem

Horta em apartamento

Portanto, em suma não é preciso ter muito conhecimento, porque nada melhor do que experiência para aprender e vamos sempre a tempo de começar. Fundamental mesmo é conhecer as necessidades das plantas e o seu ciclo, porque todas são diferentes e acaba por ser diferente cuidar de um morangueiro e de ervas aromáticas.Mãos à obra?

Lê mais: Como construir um jardim vertical dentro de casa

You May Also Like

casa segura

Casa segura durante as férias: dicas a considerar

Método Marie Kondo

Método Marie Kondo: 5 regras de ouro para manter a casa em ordem

organizar um piquenique

Dicas para organizar um piquenique no verão

pousadas de portugal

7 destinos incríveis para desbravar com a campanha JOM & Pestana Pousadas de Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *