armário-cápsula

Armário-cápsula: o que é e como criar um de raiz

O armário-cápsula surge no seguimento da lógica minimalista, em que se defende que “menos é mais” e que “é possível ser feliz com pouco”. Portanto, trata-se de um guarda-roupa pequeno, sustentável, reduzido ao essencial, formado por tudo aquilo que precisa para viver. 

A ideia central do armário-cápsula é, pois, conciliar sustentabilidade e funcionalidade, onde nos propomos a um estilo de vida mais económico e eco friendly. Além disso, com um armário-cápsula devemos dar prioridade a peças versáteis: aquelas que podemos usar praticamente todos os dias e em diferentes ocasiões. Sabe por onde começar? Este nosso artigo pretende dar dicas práticas de como montar um armário-cápsula em sua casa.

armário-cápsula

Descubra o seu estilo pessoal

O primeiro passo, caso ainda não tenha essa noção, é perceber qual o seu estilo pessoal. De que lhe serve abrir o armário e começar a escolher roupa se não souber exatamente o que procura? Antes de tudo o resto, é essencial colocar-se algumas questões: 1) qual a imagem que quero passar?; 2) que tipo de roupa transmite a minha personalidade?; 3)  como é que me sinto confortável no meu dia a dia?

Tendo uma ideia daquilo em que quer transformar o seu armário, será mais descomplicado partir para uma seleção dentro do que já tem.

Avalie as suas roupas e acessórios

O passo seguinte é a avaliação de todas as peças de roupa que tem. Pode começar, por exemplo, por colocar de parte tudo aquilo que está estragado, velho ou que não lhe serve há mais de um ano. Esqueça a ideia de que vai voltar a usar a peça X ou Y, porque se há mais de um ano que não a veste, a probabilidade disso acontecer é mínima. Tudo o que estiver em bom estado pode ser vendido ou doado. Além da roupa, deve repetir o processo para todos os outros pertences: bolsas, sapatos, bijuterias e acessórios como echarpes, cintos, lenços e gravatas. Fazendo essa limpeza, fica muito mais fácil organizar o que ficou e também visualizar aquilo que está em falta.

De seguida, escolha todas as suas peças favoritas e que lhe servem: aquelas que apelam aos sentidos, que não trocaria mesmo que tivesse um budget ilimitado para comprar roupa nova.

Por fim, e como já foi “fora” tudo o que estava em mau estado ou que não servia, e também já estão de parte todas as suas peças preferidas, chegou a parte mais complicada: aquilo que sobrou, a que podemos chamar de peças “nim”, que são as que não adora, mas que acabam por cumprir o seu papel e que estão em bom estado. O que fazer com estas? Em primeiro lugar, deve experimentá-las uma a uma, em frente a um espelho de corpo inteiro. Mesmo que tenha vestido essa peça ontem e que ache que sabe como lhe fica, vista-a na mesma. Em segundo lugar, deve levar a sinceridade ao ponto máximo e, se acha que não é capaz, peça ajuda a alguém que saiba que lhe vai dar opiniões autênticas. Para cada uma deve tentar responder às questões: gosto de me ver com esta peça? Ajusta-se à minha idade e ao meu tipo de corpo? É confortável para as minhas atividades? Vou usá-la, pelo menos, uma vez por mês? Reflete o meu estilo pessoal e a imagem que quero passar? Se a resposta foi “sim” a todas as perguntas, então é porque é uma peça que deve manter no seu armário.

Faça uma lista de tudo que é necessário

Agora que já fez uma grande seleção no seu guarda-roupa, chegou a hora de fazer uma lista de tudo aquilo que precisa ter. A ideia é garantir um controlo da quantidade e das categorias de roupas, sapatos e acessórios que tem. Alguns estilistas afirmam que é possível montar um armário-cápsula completo com apenas 37 mudas de roupas, mas pode estipular a quantidade ideal para o seu armário pessoal. Neste caso, uma sugestão é fazer uma lista dividida por secções: camisas (social, básica, de manga comprida, de manga curta, etc.); calças (jeans, pinças, leggings, joggers, etc.); casacos (blusão, trench, jaqueta, denim, kimono, blazer, sobretudo, etc.); vestidos (de festa, curto, midi, liso, estampado etc.); calçado (de corrida, botas, sapatos rasos, sapatos de salto, sandália, desportivos, etc.). No fim de ter uma lista completa de tudo aquilo que é essencial, consegue reduzir os exageros e garantir mais organização. Depois de anotar tudo, basta dar um check naquilo que já tem, desfazer-se das sobras e, então, ir atrás daquilo que ainda falta, caso seja o caso.

Aposte em cores neutras

Outra dica é apostar em peças com cores neutras, como preto, branco, crus ou castanho. Por exemplo, vale a pena ter um clássico “vestido preto básico”, que tanto pode ser usado em festas como em jantares ou até mesmo no trabalho, com um blazer por cima. Calças confortáveis, de tecido macio e em tons neutros, também são bem vindas num armário-cápsula, sendo que o mais importante de tudo é escolher roupas que tenham a ver com o seu estilo.

Mas atenção: apesar de ser muito mais fácil construir um guarda-roupa de cores neutras, pode ter um colorido, até com padrões, basta que saiba exatamente como fazer estas escolhas. Tudo é permitido, desde que encaixe no armário como um todo.

Use a criatividade para fazer combinações

Usar a criatividade para fazer diferentes combinações é também um pressuposto deste armário-cápsula. Mesmo com uma quantidade reduzida de roupas, é possível criar looks criativos e diferentes, sobretudo quando as peças são neutras.

Quanto ao criar um armário-cápsula para cada estação do ano ou ter apenas um que se adapte a todas, não existe uma fórmula mágica, é algo que dependerá de pessoa para pessoa. Há quem elabore um para cada estação do ano, há quem elabore apenas um, com mais peças, que funciona com camadas que se vão adicionando ou retirando conforme a temperatura. Terá de descobrir o que funciona melhor para si, sendo que deve optar por básicos que funcionem em qualquer estação.

Qualidade em vez de quantidade

O mais importante a ter em mente é que qualidade deve estar sempre acima de quantidade, ou seja, é essencial que tenha roupas de qualidade, feitas de um bom tecido e no tamanho certo. Tendo cuidado na lavagem e na manutenção, compensa apostar em peças que vão durar muito mais tempo.

Por fim, relembrar apenas que a roupa interior e os pijamas devem também passar por esta curadoria. Livre-se de tudo o que está velho ou que não gosta de usar e mantenha apenas as peças preferidas. No final, certifique-se que não tem mais pijamas do que roupa: três pijamas de inverno e três de verão são mais do que o suficiente.

Lembre-se que, assim como o minimalismo em geral, um armário-cápsula não tem nada a ver com restringir e nunca mais comprar nada novo. Criar um armário-cápsula é sentir-se feliz com um armário mais pequeno porque tem plena consciência do quanto isso simplifica a sua vida todas as manhãs. Não há problema em comprar novas peças de vez em quando, desde que que não compre por impulso ou só porque é tendência.

Na JOM encontra diversas opções de roupeiros, de estrutura sólida e organizada, e ainda camiseiros que lhe garantem espaço extra de arrumação. Além disso, a maior parte das nossas opções são de produção nacional, estando os artigos devidamente assinalados.

You May Also Like

Renovar a casa

Renovar a casa: um guia de como dar um novo ar aos ambientes interiores

espaço exterior

Prepare o espaço exterior da sua casa para receber o bom tempo

shabby chic

Descubra a tendência de decoração que está a dar que falar: shabby chic

decoração art deco

Dicas para uma decoração art deco

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *